Festa e cultura nos 173 anos de Cachoeira na Bahia

Com a inauguração da exposição fotográfica “Memórias” e o lançamento do concurso de redação para alunos do ensino médio e fundamental da rede pública, a Câmara de Vereadores de Cachoeira (a 110 km de Salvador), abriu oficialmente, nesta terça-feira, 9, às 19h30, a programação em comemoração aos 173 anos da elevação de Cachoeira à categoria de cidade.

A exposição, aberta ao público durante um mês, vai mostrar imagens do século XIX, paisagens urbanas, patrimônio arquitetônico, personalidades e anônimos. Parte do acervo pertencia à família do ex-prefeito João Vieira Lopes, que governou Cachoeira na década de 30. As atividades culturais acontecerão durante toda a semana, culminando com a sessão solene no próximo sábado, 13, dia do aniversário da cidade, às 9h, tendo como orador o jornalista Jorge Luís Ramos.

O jornalista vai homenagear Ernesto Simões Filho, um dos filhos ilustres de Cachoeira e fundador do jornal A TARDE. Simões Filho, então ministro da Educação, contribuiu para a implantação do Colégio Estadual de Cachoeira. Ele nasceu no tradicional bairro do Monte, onde fica a secular Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte.

Jorge Luís Ramos vai falar sobre a obra e a história de Ernesto Simões, além de outras personalidades, como o maestro Manoel Tranquilino Bastos, fundador da Filarmônica Lyra Ceciliana.

Coral – No sábado, após a sessão solene, haverá também a apresentação do Coral A TARDE, formado por funcionários, sob a regência do maestro Keiler Rego.

Nesta quarta e quinta-feira (10 e 11) serão exibidos, no auditório da Câmara de Vereadores, os curtas-metragens de realizadores baianos. No sábado, a programação na Câmara começa às 8 horas com alvorada festiva, seguida de hasteamento das bandeiras; às 8h30 será realizado culto ecumênico e, às 9 horas, terá início a sessão solene. Às 14 horas, nas escadarias do prédio da Câmara, será lançado o projeto ‘Sambando na Diversidade Cultural de Cachoeira’ com apresentação do Samba de Roda Esmola Cantada, Samba da Baixa Grande e Filhos do Caquende, com o samba mirim Filhas de Yamin.

Cachoeira nasceu às margens do Rio Paraguaçu, no século XVI, quando os engenhos de cana-de-açúcar começaram a ser instalados na região do Recôncavo. Antes da colonização, era habitada por tribos indígenas. Seu desenvolvimento teve início a partir da primeira metade do século XVII. Em 1698, a então freguesia alcança a categoria de vila com denominação de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira. Com a expansão da economia açucareira e da atividade comercial, a vila prosperou e surgiram casas, igrejas e conventos, peças da arquitetura de influência barroca.

Por A Tarde on line

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: